Instalando Raspbian LITE com Pixel GUI em cartão SD de 2GB

O Raspberry Pi é uma placa minúscula, quase do tamanho de um cartão de crédito, feita para desenvolvedores, porém, por ser tão poderosa, pode ser utilizada para diversas aplicações. Inclusive as simples, como usá-la como computador.

Para que ele seja tão pequeno, algumas coisas precisam ser postas de lado, como um HD interno. É preciso colocar um cartão micro SD com um sistema operacional desenvolvido para funcionar no Raspberry Pi. O sistema mais conhecido e com suporte pela empresa criadora da placa, é o Raspbian, que possui a versão padrão que pesa quase 2GB para ser baixado, e precisa de um cartão de, no mínimo, 8GB para poder ser instalado, e a versão LITE pesando menos de 400MB, mas precisa de um cartão de, no mínimo, de 2GB.

Os tamanhos das versões do sistema são explicáveis pelo foco que a placa tem, o aprendizado de programação e aplicações com robótica, por exemplo. Então muitos pacotes, que são desnecessários no dia a dia de um usuário comum, estão instalados por padrão. Então nós precisamos fazer algumas alterações para podermos ter um sistema usável num espaço tão pequeno, pelo menos nos padrões de hoje que exige cada dia mais espaço para comportar arquivos e programas.


Então para podermos usar um sistema completo num cartão SD tão pequeno, nós teremos que por a mão na massa. Vamos precisar baixar a versão LITE do Raspbian, você pode encontra-lo clicando aqui, e precisaremos de um programa para gravar o sistema no cartão. Sugiro o Etcher (agora chamado de BalenaEtcher, mas o funcionamento é o mesmo), que tem uma interface fácil e amigável para quem não tem muito conhecimento com comandos por terminal.

  • Abrindo o programa, clique em "Selecionar imagem", e encontre o arquivo do sistema que você baixou. O bom do Etcher, é que você não precisará descompactar o arquivo antes de abrir no programa.
  • Clique em "Selecionar disco" e escolha o seu cartão SD. Na maioria dos notebooks, eles já possuem entrada para o cartão direto na máquina. Caso não tenha, você precisará usar um adaptador USB (só procurar em alguma loja de informática na redondeza).
  • Clique em "Flash!". O Windows vai perguntar se você aceita o programa fazer alguma função como administrador, você clica em sim, e só esperar.
  • Ao finalizar, você já pode colocar no seu Raspberry Pi, conecta-lo a sua TV ou monitor, e liga-lo.

Animação de utilização do Etcher. Fácil, não?

Como é uma versão lite do sistema, ele não possui interface gráfica, então o sistema iniciará direto no terminal. Faça login para termos acesso ao sistema com o usuário pi e a senha raspberry.


Devemos configurar o básico do sistema, começando por configurar a conexão com a internet. Se você tiver conectado o Raspberry PI por cabo ethernet, pule essa etapa, se for configurar o Wi-Fi, podemos usar o comando sudo raspi-config, sempre clicando no enter para entrar nos menus, vamos em "Network Options" e escolhemos a segunda opção "Wi-Fi", agora, escolha o país, no caso, "BR Brasil". Ele irá pedir pelo SSID, que é o nome da rede, como ele está em modo texto simples, ele não consegue procurar pela lista com todas as redes Wi-Fi ao redor, você precisa dizer o nome da qual você quer se conectar, clique ENTER e, insira a senha da rede e ENTER novamente. Concluído, se você digitou corretamente o nome da rede e a senha, o Raspberry PI já está conectado.


Ao reiniciar, faça novamente login e volte a tela do assistente de configuração pelo comando sudo raspi-config. Entre em "Localization Options" e em "Change Locale" procure na lista "pt_BR.UTF-8". Ao clicar enter, voltará para a tela inicial da ferramenta.


Volte para "Localization Options" e "Change Timezone". Irá aparecer uma lista com os continentes, selecione "America" e você deve procurar na nova lista, o local do seu horário, por exemplo, para o horário de Brasilia, você deve procurar por São Paulo. Reinicie o Raspberry Pi.

Agora começa nosso trabalho de instalar e desinstalar os programas para deixa-lo pronto para nosso uso com interface gráfica. Vamos tentar deixar o Raspbian LITE mais próximo da usabilidade da versão "completa" do sistema.

Vamos começar desativando e desinstalando todos os pacotes e serviços que consomem espaço, e considero desnecessário para nosso uso:

Desativando o Swap:


No Linux, o swap é a memória virtual, que funciona como uma extensão da memória RAM, que fica armazenada no disco. Se o sistema precisa de RAM, ele recorre ao Swap, mas vamos ter que abrir mão desse recurso.

Ao iniciar o Raspberry PI, ele irá direto para a tela do terminal, já que ainda não temos uma interface gráfica instalada. Faça login para termos acesso ao sistema com o usuário pi e a senha raspberry.

Digite sudo swapoff -a, depois sudo apt-get purge dphys-swapfile, sudo apt-get autoremove --purge, e por fim, sudo rm /var/swap. Mais alguns megas economizados.

Removendo algumas bibliotecas de desenvolvimento

Como nossa ideia é usar o Raspberry PI para uso diário, ter ferramentas de desenvolvimento não faz parte das nossas necessidades, então vamos apagar e economizar bastante.

Primeiro digite sudo apt-get purge dpkg-dev libc6-dev-bin libgcc-4.9-dev libpng12-dev libraspberrypi-dev libstdc++-4.9-dev manpages-dev, confirme que você quer desinstalar, e aguarde. Vai demorar um bom tempo, já que a lista é grande.

Mais alguns pacotes a serem desinstalados: sudo apt-get purge groff-base manpages libraspberrypi-doc, novamente, confirme e aguarde.

Agora alguns arquivos que fazem mais partes dos arquivos de documentação do sistema, que não iremos precisar: sudo apt-get purge groff-base manpages libraspberrypi-doc, confirme e aguarde.

O sistema tem instalado o Aptitude, que serve como uma central para instalar e desinstalar pacotes, mas vou supor que você não se importe em instalar ou desinstalar os programar a partir do terminal, então recomendo desinstala-lo, o que não irá economizar muito, mas já é algo que pode ser útil futuramente: sudo apt-get purge aptitude aptitude-common, confirme e aguarde.

Agora precisamos, novamente, reiniciar o raspberry pi para que ele apague possíveis restos que ficaram no sistema.

Remover Python:


Ao iniciar o Raspbian LITE, faça login para ter acesso ao sistema, como dito mais acima.

O Python também é uma linguagem de programação, mas no caso, os pacotes aqui são para rodar os programas em Python, se você usa programas nessa linguagem, ignore essa etapa, caso contrário, vamos desinstala-lo.

Digite: sudo apt-get purge python, confirme a aguarde. Ao finalizar, vamos confirmar que nenhum pacote desnecessário ficou para trás, digite: sudo apt-get autoremove --purge.

Instalando a interface gráfica Pixel GUI no Raspbian


Agora liberado um bom espaço (no começo tínhamos, por volta, de 500MB livres, agora, 920MB), vamos instalar a interface gráfica, e poder fazer o resto com uma tela mais bonita. Nessa parte, recomendo que sejam feitas as instalações dos programas em separado para evitar erros.



Vamos instalar o Xorg e o Xinit, o primeiro, irá gerenciar as janelas, fazer o sistema poder parecer com um sistema como conhecemos, já o segundo, é responsável por iniciar os ambientes de desktop, sem ele, o Pixel GUI não irá iniciar. Digite: sudo apt-get install xserver-xorg xinit --no-install-recommends, confirme e aguarde.

Com os pacotes acima, o Pixel GUI pode ser instalado. Digite: sudo apt-get install raspberrypi-ui-mods lxsession.

Vamos adicionar um programa que vamos utilizar em seguida, o LXTerminal. Digite: sudo apt-get install lxterminal.

Pronto. Você pode reiniciar o sistema, e a interface gráfica irá iniciar. Mouse e teclado já podem ser utilizados para navegar no sistema. Se quiser, já pode parar por aqui e usar o sistema, mas tem alguns programas que não estão instalados e podem ser necessários para uso no dia a dia, como um reprodutor de música, leitor de PDF, visualizador de imagem, entre outros.

IMPORTANTE: Até aqui, você terá, em média, 300Mb de espaço livre.

Programas básicos do dia a dia para instalar:


O sistema está instalado, mas vamos correr para, antes usar o sistema realmente, ter os programas necessários.

Vamos começar pelo OMXPlayer, o reprodutor de mídia padrão do Raspbian, que não vem instalado na versão LITE. Abra o terminal e digite: sudo apt-get install --no-install-recommends omxplayer.

Vamos remover o Screensaver, que parece dar algum problema com nossa forma de instalar e configurar o sistema. Digite: sudo apt-get purge xscreensaver.

Leitor de arquivos PDF (não precisa se você for instalar o Google Chrome): sudo apt-get install xpdf.

Visualizador de imagem: sudo apt-get install gpicview.

Caso você queira, ou pense que no futuro você queira, clocar o sistema como ele está, do cartão SD atual para um outro (caso não queira perder esse monte de passos e ter que fazer novamente no futuro), Instale o SD Card Clone: Digite: sudo apt-get install piclone.

Editor de texto (estilo bloco de notas): sudo apt-get install leafpad.

Calculadora: sudo apt-get install galculator.

Gerenciador de arquivos: sudo apt-get install xarchiver.

Se você gosta, ou quer, ter as informação de uso de RAM, e processador, instale o LXTask, pesa menos de 500Kb, digite: sudo apt-get install lxtask.

Navegador: Google Chrome (Chromium):


O navegador Google Chrome é o mais popular da atualidade, tanto no computador quanto no smartphone, então ele é o navegador que melhor funciona no Raspberry Pi, por ter um empenho maior da comunidade.
Mas não é a versão do Google que vamos instalar, e sim a versão open-source dele, o Chromium, você não vai notar muitas diferenças, só a falta do nome do Google espalhado no navegador.



No terminal digite: sudo apt-get install chromium-browser rpi-chromium-mods adobe-flashplugin --no-install-recommends

Quando você utilizar o navegador, é interessante procurar pela extensão h264ify para fazer com que os vídeos do YouTube (e outras plataformas) rodem bem.

Resultado final:


Seu sistema está pronto.


Com as modificações que fizemos, o sistema usou quase todos os 2Gb, mas ainda sobra o suficiente para usar o básico. Tenho que admitir que quando comecei a fazer os testes para fazer esse tutorial, no final, sobrava bem mais espaço livre, mas parece que o sistema ficou um pouco mais pesado, mesmo com todas as desinstalações e remoções.

Já de memória RAM, o sistema usa por volta de 100Mb sem nenhum programa aberto.

Comentários